segunda-feira, 13 de junho de 2011

FEIRA DE SANTANA VAI VIRAR METRÓPOLE

Em comentário de pensargarnde informei que a Bahia constituida de 417 municipios, só tem uma região metropolitana que é de Salvador e que Feira de Santana, Vitoria da Conquista e Ilhéus tinham amplas possibilidades de também se transformarem em metrópoles. Entretanto, o deputado estadual Mário Negromonte Junior havia dado entrada na Assembléia Legislativa da Bahia em projeto de criação da Região Metropolitana do Oeste (leia neste blog a publicação do DOE, sob o titulo "Proposta para nova região Metropolitana,postada em 10/06/2011).
E agora, a noticia abaixo será se concretizada um elem ento incentivador e facilitador para o desenvolvimento de Feira e região.





Ao que tudo indica, projeto que fará da Princesinha do Sertão uma metrópole passará sem dificuldades na Assembleia
Um sonho antigo dos moradores de Feira de Santana, a maior cidade do interior do Nordeste (com 550 mil habitantes), está prestes a se tornar realidade. O Projeto de Lei (PL) do Executivo estadual que visa criar a Região Metropolitana do Território de Identidade Portal do Sertão deverá ser enviado à Assembleia Legislativa nos próximos dias e, ao que tudo indica, será aprovado sem complicações (governistas e independentes já sinalizaram em favor do pleito). A elaboração do PL foi definida em uma reunião realizada na tarde desta segunda-feira (13), que contou com a presença do secretário de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, além dos parlamentares feirenses Zé Neto (PT), Carlos Geílson (PTN) e Graça Pimenta (PR). A região, além de seu pólo central (Feira), abrange, em princípio, cinco municípios: Conceição do Jacuípe, Conceição da Feira, Amélia Rodrigues, Tanquinho e São Gonçalo dos Campos. Outras cidades que compõem o território de identidade também deverão ingressar na região metropolitana, após ela ser definida.

FEIRA DE SANTANA VAI VIRAR METRÓPOLE II

De acordo com o governo estadual, a elaboração do Projeto de Lei que cria a região metropolitana de Feira de Santana obedeceu a critérios técnicos e constitucionais. As cidades que integrarão o território têm um mínimo de 50% de taxa de urbanização, são limítrofes (possuem fronteiras com a cidade-pólo) e apresentam grande fluxo de pessoas. A formação também é justificada pela área representar mais do que 4% do PIB estadual. O governo esclarece que a criação da região metropolitana trará benefícios, como a possibilidade do estabelecimento do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), a redução da tarifa telefônica e do preço do transporte coletivo. Nesta sexta-feira (16), o PL deve ser apresentado à população feirense durante a abertura do projeto “Assembleia Legislativa Itinerante”, que será realizado no Centro de Cultura Amélio Amorim (Cuca), em Feira de Santana.

Fonte:Bahianoticias

4 comentários:

Anônimo disse...

se postasse com mais cautela veria que sexta- feira não é dia 16 e que Centro de Cultura Amélio Amorim não é CUCA.

Pensar Grande disse...

A intenção foi falar bem de Feira e fiz a postagem do bahianoticias,e efetivamente se houve erro em data e em local não foi por falta de cautela e sim pela confiabilidade que merece o citado site.
Sexta-feira é 16, quanto ao local fico devendo a informação.
Entretanto agradeço a participação do anonimo e espero que volte a opinar, criticar e até enviar noticias proativas sobre esse grande municipio da Bahia, o 2º do Estado

Anônimo disse...

SANTO ESTEVÃO NA REGIÃO METROPOLITANA DA FEIRA DE SANTANA


A cidade de Santo Estevão encontra-se a 38 km de Feira de Santana, situada às margens da BR 116 Sul, com extensão territorial de 356km². Segundo o censo demográfico de 2010, o município possui uma população de 47.901, o que significa situar-se entre os 50 municípios mais populosos da Bahia.

A implantação de uma Região Metropolitana é de vital importância para o desenvolvimento econômico e social de uma determinada região, cujo principal objetivo é a viabilidade de sistemas de gestão de funções públicas de interesse comum dos municípios abrangidos.

Há tempos que Feira de Santana possui características próprias de uma Metrópole e, esta decisão, embora tardia, propiciará uma atenção maior do Governo Estadual e Federal no enfrentamento dos graves problemas urbanos, especialmente no tange ao meio ambiente, visando ofertar uma melhor qualidade de vida para todos os municípios que integram a região.

Sendo o mais importante entroncamento rodoviário do Nordeste, Feira de Santana tem sabido aproveitar as oportunidades de crescimento induzidos pelo forte comércio e volumoso parque industrial, tornando um pólo, inconteste, de atração em toda a região, inclusive se colocando, sempre, na vanguarda do crescimento do Estado da Bahia.

Desse modo, o Projeto de criação da Região Metropolitana da Feira de Santana deve levar em consideração a inclusão de todos os municípios situados no contexto da região, sobremaneira àqueles que comungam dos mesmos problemas das cidades grandes. Dúvidas não há, que existem questões em que o município, por menor que seja e/ou mais rico, não resolve sozinho, a exemplo da destinação do lixo; do esgotamento sanitário; da mobilidade urbana; e, inclusive, da segurança pública.

Então, serão necessárias grandes intervenções que dependem de elevada soma de recursos, sobretudo na construção de aterros sanitário, vias expressas e estações de tratamento sanitário, de modo a atender os grupos de municípios com problemas comuns. Tudo isso, considerando a importância e a urgência em preservar a Bacia do Jacuípe e do Paraguaçu, tão ameaçados pela poluição em marcha.

Pois bem, a cidade de Santo Estevão foi excluída, não se sabe por que, dos projetos em curso para criação da referida Região Metropolitana. O projeto atual que é defendido pelo Governo do Estado é integrado por 06 cidades(Feira de Santana, Amélia Rodrigues, Conceição da Feira, Conceição do Jacuípe, Tanquinho e São Gonçalo dos Campos). O projeto anterior constava 16 cidades(Feira de Santana, Coração de Maria, Santa Bárbara, Anguera, Antônio Cardoso, Irará, Candeal, Ipecaetá, Santanópolis, Serra Preta, Riachão do Jacuípe, Amélia Rodrigues, Conceição da Feira, Conceição do Jacuípe, Tanquinho e São Gonçalo dos Campos).

Interessante que a duplicação da BR 116 Sul, trecho Feira – Ponte do Paraguaçu, já estão com obras iniciadas. Santo Estevão estará a 20 minutos da “Metrópole” e os Deputados não sabem disso?

A ausência de Santo Estevão neste projeto é inaceitável sob todos os aspectos. É a cidade com maior população urbana da Região depois da Metrópole(é só conferir com os dados do IBGE), encontra-se mais próxima da Feira do que outras escolhidas e tem altas taxas de crescimento econômico, sobretudo em função da fábrica de calçados com cerca de quatro mil trabalhadores.

Será que esqueceram do povo de Santo Estevão? É claro que não, pois a cidade amanheceu, recente, com faixas de convite para uma sessão itinerante da Assembléia Legislativa da Bahia, que ocorrerá em breve, em Feira de Santana. E, qual o sentido do convite? O povo destas plagas em nada entendeu!

Quiçá não apareça alguém com espírito público e faça prevalecer o bom censo.

GESAEL PASSOS FERREIRA - historiador

Anônimo disse...

que eu saiba sao goncalo dos campos,amelia rodrigues,conceicao da feira e conceicao do jacuipe sao cidades do territorio de identidade do recôncavo baiano,inclusive a propia feira de santana tem parte do seu territorio na região do reconcavo na zona dos tabuleiros terciarios do Recôncavo da Bahia,parte do centro de feira de santana e o distrito de humildes sem duvida nenhuma esta localizada na região negra e umida da bahia,o reconcavo,então a rmfs tambem engloba parte do territorio do reconcavo,atualmente muitas cidades que sempre foram consideradas como reconcavo da bahia estão sendo retiradas do territorio o que é um grande erro,a propia feira de santana é um exemplo a cidade alem de ter parte do seu territorio no reconcavo sempre teve indentidade cultural com o recôncavo so que atualmente esta sendo sempre citada como sertão até mesmo por questoes politicas o que é um grande erro,é nescessario fazer uma revitalização do verdadeiro territorio simbolo da bahia,o Recôncavo Baino